terça-feira, 8 de julho de 2008

Freqüentando igreja de "pastor famoso"

Freqüento a seis meses a Igreja Betesda aqui em São Paulo, comunidade pastoreada pelo Ricardo Gondim. À primeira impressão esse pode parecer um post de membro puxa-saco, mas só algumas evidências já lhe tirarão a idéia da cabeça:

  • Fico vários cultos seguidos sem ir e não fico com a consciência pesada
  • Até pouco tempo não participava de nenhum grupo ou projeto da igreja. Só dava meu dinheiro pensando ser o suficiente
  • Não freqüentei o curso de novos membros: oficialmente (se é que isso muda alguma coisa) não sou um "betesdense"

Essas são algumas das coisas que afastarão esse post de uma carta em defesa de Gondim e seus projetos. Só quero dizer porque escolhi freqüentar a Igreja Betesda depois da minha crise existencial "igreja é tudo igual":

  1. Na Betesda encontrei várias pessoas como eu: humanos rabugentos em busca de melhorar sua convivência com as pessoas
  2. Na Betesda há alguns sujeitos, como eu, que peregrinaram por vários locais e econtraram uma maneira aconchegante de refletir sobre o sentido da vida naquele lugar
  3. Ricardo Gondim não fala muito do Deus europeu (definição de Ed René Kivitz): o todo poderoso criador. O foco está no Deus encarnado, que revela a sua glória no nosso modo de viver a vida
  4. Ricardo Gondim não torna os momentos de contribuição constrangedores. Tem horas que eu até penso se ele está pedindo oferta mesmo ou nos convencendo a não dar dinheiro! Só sei que minha contribuição é totalmente consciente das necessidades dos projetos dali.
  5. Gondim é um pastor impoliticamente correto ( no sentido de não ter papas na língua)
  6. A igreja Betesda tem algumas coisas meio litúrgicas do tipo igreja velha que me deixam confortável
  7. Não recebo nada regurgitado. Toda a lógica do ensino é temos esse conceito, reflita sobre ele
  8. Não estamos na comunidade a distorcer a Bíblia, mas de nada adianta ter a Bíblia se isso não transforma as pessoas, se essa Escritura não salva o homem dele mesmo
  9. A igreja incomoda a maioria, isso me dá a total certeza de que estamos contra a corrente
  10. Sinto-me numa comunidade onde as coisas acontecem naturalmente. Nada de estratégias de evangeliquismo.

Isso é só um resumo que me deixa imune a qualquer comentário sobre a comunidade que freqüento. Eu estou lá e sei que isso muda não só o jeito que eu olho as coisas, mas a forma que aplico os ensinos de Jesus ao meu contexto incompleto de vida.

5 comentários:

  1. Para de puxar saco da igreja dos outros cara heheheh

    Bom saber que ainda existem igrejas que pensam dessa maneira...

    ResponderExcluir
  2. uia... o semi-herege frequentando igreja a seis meses...

    Como disse o Rap "que bom que ainda existem igrejas" assim...

    Já estou meio descontente com a minha, cada vez que vão pedir oferta é aquel medingança, que a pessoa acaba dando por dó do que por amor a obra, fora outras coisas bem clichês e normais hoje em dia.

    ResponderExcluir
  3. Meu,

    Se vc é rabugento, então a humanidade está realmente perdida de vez ... he he ...

    Mas, falando sério te entendo, no sentido de realmente vc querer algo que vá além da aparência e que tenha substância.

    E realmente a Betesda - pelo que sei e pelo que vc apresenta, via Gondim procura tirar essas amarras e ir fundo no que é verdadeiro e sincero.

    Fique na paz - e não falte neste próximo domingo ... ;)

    ResponderExcluir
  4. Interessante sua crise existencial de "toda igreja é igual". Cheguei a essa conclusão, espero não entrar em crise...

    ResponderExcluir